sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Pensamento super rápido

Por que a gente sempre insiste com as pessoas, com os lugares e com as coisas erradas????


Fim

Sobre o Rio de Janeiro

Hoje pela manhã, quando assistia aos jornais , várias vezes foi dito sobre a ação bem sucedida da policia do rio de janeiro - através do BOPE - em parceria com a força militar (marinha). A ação foi tratada como "sucesso". Um coronel da PM,  (Mário Sérgio - ou qualquer coisa parecida com isso) disse que o BOPE havia ocupado a vila cruzeiro e que de lá não saíra. Que o sucesso da operação deve-se em grande parte, a tal ocupação. Eu, particularemnte, tendo uma constante nuvem negra em meus olhos, não vejo isso como sucesso. Vejo como uma operação da policia que deu certo pois atingiu seus objetivos. Para mim, o verdadeiro sucesso seria, o BOPE sair de lá e as pessoas continuarem tranquilas. O sucesso seria a presença constante do Estado nessas regiões vulneraveis. A policia deveria ser o último fator para casos extremos. O que me parece, é que os traficantes preferem morrer - tal qual o exagero do filme tropa de elite - a aceitar um espaço pacificado. E o pior, parece-me que a sociedade está pedindo isso. Essa confusão toda , acredito, era esperada pelos governantes tão logo o processo de pacificação começou. Os "fora da lei" ficaram acuados. O triste é que, mais uma vez, é o sangue dos mais pobres, dos excluídos que escorre. Porque nessa luta, muitos inoncentes estão indo embora ou vão embora - incluindo os policiais - por quem , diga-se de passagem, tenho grande admiração e respeito. Só não me peçam para ver tudo isso, e comemorar o sucesso. Enquanto sangue "inocente" escorrer, o sucesso não existe.

Inspiração

Tem coisas que a gente escreve, por inspiração. Sem motivo, sem razão - apenas por pensar e achar qu e de alguma maneira, a combinação de palavras podem dar certo. Não sou do tipe que tem inspirações poéticas (não mais pelo menos). Mas achei um texto antigo no meu pc, e resolvi colocar aqui...    

Queria nesse momento poder te olhar.
Queria nesse instante sentir seus braços a me abraçar.
Não te vejo, mas te sinto.
Não te toco, mas imagino.
Clamo por cada toque proibido de sua mão.
Sinto. Não sei como. Não sei por quê.
Entreguei-me. De corpo  e de suor. Transpiro. Não me controlo.
Venha. Me pegue. Me abrace.
Transforma-me em tua parte.
Seja parte de mim.
Uma vez.
Uma única vez.
Submeto-me.
Aceito.
Me sujeito.
Tudo pelo seu toque.
Pelo seu beijo.
Pelo nosso gozo.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

You´ve got a mail

Alguns dizem que estamos na era da Internet. Concordo. Acho que estamos há muito tempo na era da Internet. Alguns entraram em contato com essa ferramenta há bastante tempo. Posso dizer que eu sou uma usuária relativamente "antiga" desse universo. Não é a toa que conheci meu maridão na rede. Nos tempos ainda em que o Mirc era o sucesso, o ICQ super mega ultra utilizado. No tempo em que falar: "conheci ele na internet" gerava preconceito e piadas de todos os tipos. Atualmente, conhecer pessoalmente alguém da internet, na vida real, é quase que corriqueiro. Todos os dias são marcados encontros, "orkontros" (participei de vários, inclusive), jantares de grupos, enfim, os mundos real e virtual se confundem a todo instante. Para além do meu marido, fiz grandes amigos na rede. Posso dizer que foram amigos mesmo. Um deles que, infelizmente acabei perdendo o contato, chegou a ser amigo confidente, de trocar cartas escritas e tudo mais. Não sei mais dele, mas guardo um carinho enorme. Posso dizer que ele é parte do que sou e do que aprendi. Quando fui para a Austrália também conheci uma pessoa na rede - uma brasileira que lá morava, que me recebeu, me acolheu e me deu todas as dicas de como me virar por lá. Ja agradeci pessoalmente - porque tive a chance de ve-la - e serei também sempre grata. Recentemente também tive chance de conhecer em Minas, uma pessoa da rede, que me ajudou, me deu dicas, me mostrou lugares etc. A essa pessoa, também meu agradecimento. Diante de tantas experiencias bem sucedidas, deveria dizer que : não há mal nenhum na rede. ERRADO. Essa semana que passou, foram 3 casos de encontros "mal-sucedidos". Duas meninas (13 e 17 anos) foram mortas depois de marcar um encontro virtual. Uma, de 13 anos, está desaparecida - depois de marcar um encontro via rede. Essas meninas, buscavam talve uma suposta liberdade. Buscavam, talvez, encontrar um grande amor. Buscavam, talvez viver sem lei, sem regra - fora da autoridade paterna/materna. Queriam descobrir o mundo talvez. A motivação podem ser várias. Queriam apenas transformar em real, uma amizade virtual (coisa que eu fiz algumas vezes). Infelizmente, elas não tiverama mesma sorte que eu. Na entrevista com uma das mães, ela disse "essa internet só acaba com a vida das pessoas". ERRADO. Eu acredito que a internet proporciona conhecimento e que este liberta. O problema é como as pessoas usam a rede e de que forma deixam esta influenciar em suas vidas. Ou seja, o problema não é a internet, somos nós.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Momento Pipoca


Há uns dias atrás, fiz um post sobre os filmes "Tropa de Elite". Ao fazer tais comentários, comecei a pensar em diversos filmes que eu já vi. Alguns que marcaram a vida, outros nem tanto. Uns muitos bons, outros ruins. Enfim, foi uma grande viagem pela minha memória. Aí pensei: acho que vou falar sobre isso no blog. Não vou fazer comentários sobre filmes, mas vou fazer uma lista de produções que me marcaram. Então é isso. Hoje farei uma lista de filmes que gostei e - não necessariamente que recomendo, afinal gosto é gosto...

  1. A Lista de Schindler
  2. Sociedade dos Poetas Mortos
  3. Memórias de Uma Gueixa
  4. Amor Além da Vida
  5. Chico Xavier
  6. Nosso Lar
  7. Patch Adams - O amor é contagioso
  8. Forrest Gump
  9. A Noviça Rebelde
  10. O Oitavo Dia - Nesse coloco a sinopse: Sinopse: Um homem com Síndrome de Down cuja mãe morreu e um ocupado homem de negócios, divorciado e sem a posse dos filhos, que não querem mais lhe ver. Os dois acabam desenvolvendo uma amizade especial quando encontram-se acidentalmente.  - E se for assistir, deixe ao lado a caixa de lenços...
  11. Cazuza - O Filme
  12. Easy Rider
  13. A Espera de Um Milagre
  14. Naufrágo
  15. Grease
  16. That thing you do (The Wonders)
  17. Mensagem para VocÊ
  18. Operação Walkiria
  19. Mary Poppins
  20. Animações em geral
Observação: o fato de alguns dos filmes serem com o Tom Hanks, não é coincidÊncia. ADORO!

sábado, 20 de novembro de 2010

Sobre a Saudade

Hoje acordei com Saudades. Não sei do que, não sei de quem. Talvez do tempo que se foi. Das pessoas que conheci. Das pessoas amadas que já não estão  mais aqui... E queria falar sobre isso. Porém, dificil é definir a saudade. E navegando na Net, nesse mundo que nos aproxima de tantas pessoas que não mais vemos todos dias, ao navegar nesse universo que nos apresenta tantas outras pessoas, outras idéias, outros mundos que não o nosso, achei um poema, atribuido a Albert Einsten, e talvez, esse texto seja o que mais se aproxima do que estou sentindo... (http://pensador.uol.com.br/poemas_de_saudade/2/)

"Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia o tempo passe...
Mas, se a amizade permanecer,
Um de outro se há-de lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos...
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia não mais existamos...
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe...
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre."


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Refletindo sobre Tropa de Elite - ou Elite da Tropa...



1º filme : muito bom.
2º filme. Bom - apesar da figura caricata da "turma dos direitos humanos" (que me fez rir durante boa parte do filme - não porque é engraçado - mas por me considerar dessa turma "dos direitos humanos" - ria do quanto os pré-conceitos podem ser inseridos na vida das pessoas de uma maneira tão sutil). Grandes generalizações. Todo politico é corrupto. Todo policial é truculento ou corrupto. Extremos. Nem todo politico é corrupto e nem todo policia é truculento e corrupto. Existe sim um outro lado. E posso dizer, experiencia própria, que existem politicos sérios e honestos. E existem policiais sérios, honestos e - inclusive - gentis. A generalização deu uma "estragada" no filme. Ainda sim recomendo. Só não podemos esquecer de usar o filtro do bom senso.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Sobre cativar

Tão ou mais importante que o caminho que percorremos são as pessoas que conhecemos e o que elas nos oferecem bem como o que oferecemos a elas. A presença destas pessoas nos fazer manter a tranquilidade e serenidade na escolha dos passos. Outras vezes, elas nos perturbam - não necessariamente pelo que fazem - mas pelo que a presença delas nos faz pensar sobre nós mesmos...  De uma forma, ou de outra, somos cativados a todo o tempo... E, pensando nisso, que posto aqui, um dos trechos mais bonitos que já li... Do livro "Pequeno Principe"


"A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer alguma coisa. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me! “(...)
“- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa… repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa…”

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Dicotomização do Mundo

O mundo parece sempre estar dividido em dois lados. Em cima/em baixo, esquerda/direita, rico/pobre, branco/preto,  quem manda/quem obedece, amor/ódio, entre outros. Há ainda uma divisão ainda mais geral: a divisão do mundo entre bem e mal, certo e errado.  Parece que tudo que acontece, tudo o que existe tem que, necessariamente, ser uma coisa ou outra. O mais ou menos parecem nunca ser opção. Porém, mais que o mundo dividido em dois lados, as ações do ser-humano também são. Tudo que vai ser feito deve ser levado em consideração. OU É OU NÃO É. O mais ou menos também não existe. Se sou uma pessoa ruim e faço algo bom, continuarei a ser uma pessoa ruim. Se sou uma pessoa boa e faço algo bom -  não fiz mais que a obrigação. Porém se sou uma pessoa boa e faço algo ruim - serei sempre ruim. Aí retorno à pergunta: o que é bom ou ruim? O que define tais categorias? Eu não sei.... alguém sabe?

E, antes que pensem, eu não fiz nada ruim e , nada bom também.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Casos e acasos

Nada na nossa vida é por acaso. Tudo tem uma razão de ser. Tudo tem um motivo e uma justificativa. Um aprendizado e  uma lição. Acertamos e erramos constantemente. Isso tudo nos faz crescer. Nos faz saber quem somos e o que queremos ser. Nem sempre o aprendizado vem de forma tranquila e serena.. As vezes, vem com lágrimas, com dor. As vezes vem com a alegria da conquista feita. Porém, definitivamente, nada na vida é por acaso. Nem mesmo as pessoas que conhecemos ou lugares pelas quais passamos. Nem mesmo aquela conversa única em um dia qualquer da existencia ou a convivencia diária. Nem mesmo o sol que brilha ou a chuva que cai. Tudo tem uma razão de ser. E todos tem algo de bom para mostrar.... 

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Sobre Austrália....

Há um tempo atrás, escrevi nesse blog que eu iria para Austrália - Brisbane mais especificamente.... E fui... porém, quando voltei já não tinha mais o blog (por motivos de fofoqueiros de plantão) e não escrevi nada sobre a tão esperada viagem.... Tardou mas não falhou, cá estou eu! O que dizer? Primeiro que Deus teve ter apontado o dedo para Australia quando pensou em um "paraíso natural"... Até eu que não sou muito chegada nesse negócio ecológico, natural, naturista - ou seja lá o nome - fiquei maravilhada. Eu só queria ficar parada , olhando a paisagem, o mar. Queria sentir a brisa do mar... Mas também, o hotel que fiquei... tudo de bom (http://www.tangalooma.com/)  Senti um pouco de dificuldade com a alimentação... Mas tudo bem, pra quem foi ao outro lado do mundo pra falar sobre crime, a alimentação foi um detalhe. Segurar um koala no colo, ou deixar um kangurcy  comer em sua mão são experiencias unicas. Ver um ornitorrinco então nem se fala (sim, ele existe. é de verdade mesmo!!! - e só existe lá). Outras coisas tem lá e em qualquer lugar do mundo.... mac donald´s, burguer king, artistas de rua nos calçadões, loja de 1,99.... enfim... Certamente uma viagem para ficar na história... da minha vida, da minha memória. E aqueles que me ajudaram a atingir esse sonho, terão sempre minha gratidão. Spencer, Aiden (ucl - londres), rashi (oklahoma), gisela (los angeles), jeff e stacy (arkansas), mangai (india) jessica (hong kong), prof. alex (liverpool)... E é claro, meu chefe que topou encarar parte dessa viagem... Marcelo. Obrigada a todos - mesmo sabendo que eles não lerão isso... E umas fotinhos para marcar....



Ser autodidata ou buscar qualificação?

Muitas coisas que tenho aprendido no meu ambiente de trabalho tem sido de maneira autodidata. Leio muito, pesquiso muito, converso com as pessoas da mesma área que eu - não importando onde elas estejam - Pode ser no Brasil ou do outro lado do mundo - na Australia... Mas tenho sempre corrido atrás... Por esse motivo é que conheci pessoas, que estabeleci contatos e rede de relacionamentos... Mas apenas isso não é suficiente. As vezes um aprendizado mais "escolar" (sala de aula, professor etc) é extremamente necessário - mesmo que algumas informações sejam repetitivas. É por isso que hoje estou aqui em Belo Horizonte. No caso Brasileiro , onde a área da analise criminal não é tão "popular", alguns locais se destacam. Entre eles, o CRISP - que é um centro de estudos em criminalidade e segurança pública. Extremamente conceituado, que fez parte de grandes projetos (Fica Vivo, por exemplo). Vim para aprender. E espero conseguir aprender. E, por falar em Belo Horizonte, que lembra Minas Gerais, vai um pãozinho de queijo aí?