sábado, 19 de fevereiro de 2011

Coisas que fazem a diferença

Ontem, sexta-feira, eu estava bem aborrecida com uma série de coisas. Decepcionada com tantas outras. enfim, devo dizer que foi uma semana dificil e ainda estou refletindo sobre algumas situações para tentar não repeti-las ao longo dos tempo. Por que, afinal, ja diz o ditado: errar é humano, persistir no erro é burrice. Então, se algo está errado, temos que mudar. Mas, no meio de toda essa confusão, uma pessoa de quem gosto bastante e há tempos não via apareceu lá no serviço. e ela me falou tantas coisas bonitas que meu coração ainda está emocionado. E percebo que, as vezes, no olho do furacão é possivel fazer a diferença... Como?  Assim ó:

ABRAÇO APERTADO

APERTO DE MÃO

SORRISO NO ROSTO

OLHAR DESINTERESSADO

com a frase "SE PRECISAR ESTOU AQUI TÁ" (ou qualquer outra de conforto, consolo)

                                                                  E mais do que tudo , a pré-disposição em ajudar sempre.... 

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Em minha busca

Eu não sei bem ao certo se já falei o significado do titulo deste blog. Deste espaço onde tento me encontrar a cada palavra , poesia ou frase escrita. Estou sempre buscando as respostas nestas palavras que aqui deixo ou em tantas outras que não ouso externalizar. Clarice Lispector tem uma frase que diz: "Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento"... Só que infelizmente a gente não consegue viver sem buscar explicações. Eu, pelo menos, não consigo. Para mim o entedimento faz parte da vida e da existencia como um todo. Seja neste plano terreno ou em outro (que realmente acredito existir). E quanto mais eu tento descobrir mais eu vejo que não tenho respostas, que não tenho entedimento. Que tenho apenas a vontade louca de me encontrar. Ainda não aconteceu. Não acredito que vá acontecer... Mas caminho. Com sorrisos algumas vezes. Muitas outras vezes com lágrimas. Com o sentimento todo...  Carlos Drummond de Andrade também tem uma frase muito significativa: "Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo". Eu tenho esse sentimento do mundo. Esse sentimento que as vezes sufoca. è quase que uma paixão por tudo que faço, por tudo que tenho, por tudo que me cerca. è um sentimento que me faz querer estar presente o tempo todo e querer os outros por perto. è algo que sufoca e que ainda não sei trabalhar. E esse sentimento que quer abraçar o mundo com apenas duas mãos. É um sentimento que consegue ser o bem e o mal ao mesmo tempo. Consegue ser o sorriso e a lagrima. A coragem para lutar e a vontade de desistir. O tudo e o nada. Consegue ser a contradição. E é nessa contradição que tento me encontrar. É nessa contradição que tento me entender. É essa contradição que me faz viver sempre, a cada dia. E é essa contradição que me faz sentir assim, sozinha.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Eu tinha me esquecido....

Que aqui onde vivo é proibido demonstrar sentimentos, cultivar amizades. É proibido dar abraço apertado e presentear em dia de aniversário. É proibido querer bem. É proibidio sentir. Para quem vive a filosofia do pequeno principe diariamente, onde todo mundo é responsável por aquilo que cativas, esse negócio de "tô nem aí" pra mim não serve...  

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Sou assim, e daí?

E daí que eu falo sozinha na frente do computador?

E daí que eu fico cantarolando musicas bregas ao longo do dia?

E daí que crio e recrio histórias e estórias em minha mente?

E daí que dou risada ao mesmo tempo que choro?

E daí que vivo intensamente, que sinto e escancaro ?

E daí que sou meio desligada e as vezes dou uma viajada?

E daí que as vezes sou lesada e não entendo a piada?

E daí que sou assim, desse jeito?

Quem quer gostar de mim que seja assim, não quero mais mudar para agradar os outros

Quero ser feliz assim, do jeitinho que eu sou... do jeito que sinto... do jeito que experimento. do jeito que acredito.....

Esse é meu jeito de ser feliz

E agora me dei conta...

Ontem (domingo) passei pela primeira vez no local onde sofri o acidente de trânsito mencionado no post anterior. E aí foi que me dei conta de como fui protegida por Deus. è a única explicação. Ao visualizar a rodovia, em horário de rush, com chuva e meu carro rodopiando no meio da pista... Chorei desesperadamente  pois aí sim me assustei. A parte boa é que estou aqui falando isso.


quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Renascendo

No post de ontem, dia do meu aniversário, eu fiz algum comentário sobre o sentimento de que algo de bom estava guardado para mim... Então... devo dizer que ontem mesmo me encontrei com esse algo bom. Aparentemente pode parecer horrivel, mas só o fato de eu poder estar aqui contando e falando sobre isso já é maravilhoso.

Depois de um lindo dia, junto aos meus amigos, visitei meu pai e fui para casa. Chovia bastante naquela hora. Para ir embora eu preciso pegar a BR 116, sentido são paulo. Foi então que meu carro foi fechado por um outro veiculo que vinha pelo lado direito da pista. Para evitar a batida, coloquei o pe no freio. Com a chuva, a rodovia estava molhada. Foi então que perdi o controle do veículo. Fiquei rodando com o carro por uns 50 metros. Passei por cima de placa, arranquei arvore, atravessei o canteiro central e parei quase que na pista sentido contrário.

O carro está em uma situação não muito boa. Pode ser até que dê PT. Mas acho que não.

E sabe o que foi o bom disso? Eu não sofri um arranhão. Mesmo rodopiando pela br nenhum outro veiculo foi atingido. Não houve vitimas. Eu apenas que estou bastante assustada. O carro está na oficina. Eu estou inteira. Apenas o abalo psicológico. Devo ou não dizer que isso é muito bom?


quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Fazendo aniversário

Chegou o dia.... Hoje começa o meu ano novo...  Segundo os astrólogos chega ao fim o meu inferno astral. E devo dizer, que o último mês, foi sem dúvida, um grande "inferno". Devo dizer ainda que superei junto a minha familia, amigos e todos aqueles que amo...
No dia do meu aniversário eu literalmente esqueço minha idade. Não porque eu tenha vergonha dela, ao contrário, tenho muito orgulho dos meus 31 anos completados hoje. Mas porque volto a ser criança. Comemorar o aniversário, para mim é "sagrado". Gosto de ter bolo, velinhas, balões. Gosto de cantar parabéns e fazer pedido. Gosto de estar com as pessoas por perto.
De alguma maneira, sinto que esse ano está sendo diferente. Intuitivamente sinto que algo bom está guardado para mim. Talvez o fato do meu pai estar vivo e poder celebrar comigo o dia de hoje seja um indicio de que é possivel vencer. è possivel lutar. è possivel ir até o final, ainda que o final nem sempre seja o esperado.
No dia de hoje, reflito sobre o que sou ou o que quero ser. sobre o que sonho, o que desejo. sobre para que luto e corro atrás. Acerto muito mas erro muito mais. E isso me transforma no que sou. E então lembro de uma música que meu filho escuta que diz assim:
"Ser assim é uma delícia, desse jeito que eu sou, de outro jeito da preguiça, sou assim pronto e acabou. (...) Brincadeira, choradeira pra quem vive uma vida inteira. Mentirinha, falsidade pra quem vive só pela metade. Se alguém me desaponta, paro tudo e dou um tempo , e aí eu me dou conta que ninguém é 100%. Seja um principe ou um sapo, seja um bicho ou uma pessoa, até mesmo um pé de nabo tem alguma coisa boa".

E aí, eu entendo, que assim como ninguem é 100% eu também não sou. Sou isso. A alegria , o riso, a lágrima, a ansiedade, a intensidade. Sou os erros, os acertos. Sou exatamente o que vêem. O que escrevo. O que transpareço. E, para encerrar, deixo aqui uma outra poesia... não achei a autoria dela mas esta no pensador da uol...

A Idade de Ser Feliz

Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa.


terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Contagem Regressiva

De todas as datas do ano, a que mais gosto é meu aniversário. Sinto-me como criança esperando anciosamente por essa data. Não ligo para presentes materiais, mas receber a ligação das pessoas que amo fazem toda a diferença. Meu dia está chegando. è amanhã. Amanhã assoprarei mais uma velinha. Não me envorgonho da idade , apesar de achar que o tempo passa rápido demais...  E espero, anciosa, por mais uma velinha, por mais um ano...



segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sobre animais

Eu, particularmente, sou uma pessoa que não liga muito para animais. Não gosto de bixos. Não tenho nenhum de estimação e não pretendo ter. No entanto, isso não faz de mim uma pessoa que "despreze" os animais. Desde que eles estejam na casa dos outros. Acho super meigo filhotinhos de cachorro. Me comovo com a bonita amizade que muitos animais tem com seus donos. Só não tenho vontade de ter um bixinho. Levo meu filho ao zoológico e, de certa forma, me incomoda ver os animais "enjaulados"...

E porque estou falando sobre isso? Por que ontem, assisti ao Record Espetacular (aquele programa que é muito parecido com o Fantástico) e assisti uma matéria sobre animais. A referida matéria falava sobre pessoas que cuidam de animais com necessidades especiais (cachorros de maneira geral). Bichinhos que foram abandonados por seus donos ou tiveram problemas diversos. E achei muito bonita essa iniciativa. Admiro quem consegue ter todo esse afeto com os bichinhos. Mas durante a matéria, foram exibidas também cenas de mal trato de animais. Algumas imagens me chocaram tanto. Não precisamos gostar dos animais. Mas maltrata-los também é o fim. 

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Coisas que me chateiam


Nem todos aceitam tudo. Nem todos se revoltam com tudo. Eu posso dizer que poucas coisas me tiram do sério. Me irritam ou me chateiam. Digo ainda que quando me irrito não tenho rompantes de grosseria. Choro muito. Fico nervosa. Tremo... Fico totalmente descompensada. Essa semana de volta ao trabalho, confesso que foi uma semana que me irritou. Que me descompensou. Comecei a semana explicando o que não tem explicação. Passei os dias todos fazendo "cara de paisagem" para uma série de situações , quando a vontade que tinha era esmurrar as paredes (evidentemente para não bater em ninguém). Mas de todas coisas, uma que me incomoda muito mas não me irrita, apenas me chateia, são indecisões. Sabe aquela musica do caetano veloso que diz "você disse que não sabe se não, mas também não tem certeza que sim"? Essas coisas me chateiam. Claro que a musica se refere a uma situação romantica, o que não é o meu caso. Meu caso é vida cotidiana, é rotina. São coisas que precisam ser resolvidas mas que ficam em ritimo de "deixa como está para ver como fica". Confesso que essa chateação é uma opção que não controlo. Minha ansiedade não me permite esperar para ver como fica. Se uma pergunta é feita, uma resposta deve ser dada. Se o telefone toca, tem que atender. Se um email é enviado deve ser respondido. è possivel dizer sim ou não. é possivel encaminhar ou arquivar. Mas um atendimento deve ser feito. Esse espirito do funcionalismo público, de maneira geral, me incomoda muito. Dizem por aqui que "não se deve deixar para amanhã, o que pode ser feito depois de amanhã". 

Aí é que eu não entendo: se pode ser respondido hoje, porque não responder? Se pode ser feito hoje, porque fazer amanhã?   Sou funcionária pública mas definitivamnete, para mim, as coisas tem que ser hoje e agora.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Encarando mudanças

O último post que fiz foi sobre mudanças. Se era bom ou não. Se vale a pena ou não. Tinha medo e por um instante havia desistido de mudar meu visual - que era o tema da transformação. Não mudei. Cheguei no salão e encarei. Disse à profissional que meu visual estava nas mãos dela e que confiava. Mostrei algumas fotos da internet de looks que me agradavam. Mesmo com medo mudei. ESTOU MUITO FELIZ COM O RESULTADO. Acredito que não poderia ser melhor. Nunca imaginei que arriscar assim pudesse trazer tanto bem estar. Estou me sentindo melhor. Mais bonita. Mais sedutora. Mais nova. Estou de bem comigo. Com o que sou. Com a aparencia que conquistei. E , além disso, devo dizer que esse visual novo mandou o "patinho feio" dar uma voltinha....