quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Dose de Mário Quintana

DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana (escritor gaúcho 30/07/1906 -05/05/1994)

"Deficiente" 
é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino. 


"Louco"
 é quem não procura ser feliz com o que possui. 


"Cego" 
é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores. 


"Surdo"
 é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês. 


"Mudo"
 é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia. 


"Paralítico" 
é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda. 


"Diabético"
 é quem não consegue ser doce. 


"Anão"
 é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois: 


"Miseráveis"
 são todos que não conseguem falar com Deus. 

"A amizade é um amor que nunca morre. "
     

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Há tanto tempo queria te dizer....

Há tempo quero te dizer, quero te falar, quero recordar...  

Sentados naquela mesa redonda da cozinha, molhando o pão de leite no café preto ao som do louro falávamos da vida... Fazíamos planos, construíamos sonhos. Planejávamos a compra do papel de carta, ou a ida ao shopping....   

Havia dias em que pulávamos o muro, para o café ser da vó e do vô torto... para trocar idéias sentadas no sofá da garagem ou no sofá ao lado do fogão de lenha

Você aqui e eu lá.. trocávamos cartas em papéis de carta. Falávamos das conquistas, dos amores e desamores, descobertas...   

Mas a vida, seguindo seu curso, por motivos diversos , separou os caminhos.... 

Mas o amor ficou dentro do peito. O carinho ficou dentro do peito. As lembranças ficaram na memória. Lembranças doces, lembranças engrandecedoras. 

E que bom que hoje pude lhe falar desse amor dentro do peito. Que bom que hoje pude lhe falar que ainda estou aqui para você e que bom ouvir que você também está aqui para mim.... 

O coração, o sangue, a vida....  Em nossos caminhos continuaremos mas bem sabemos que nossas almas nas poesias sempre se encontrarão...  

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Silêncio

Lembra que é o momento da virgula???

Deixe adormecer ....

Não é hora de mexer no que está quieto...

Shhhhhhhh........

terça-feira, 11 de outubro de 2011

15 anos sem Renato

As letras de Renato Russo e Legião Urbana ainda hoje embalam minha vida. Lembro-me como se fosse ontem, do dia em que Renato Morreu. Eu, na época com 15 anos, fiquei aos prantos. Parecia que era alguém da minha família.

15 anos depois, continuo ouvindo as musicas escritas por esse poeta-escritor. Suas letras continuam representando nossos sentimentos e algumas vezes, falando do vazio que sentimos dentro do peito.

"É tão estranho, os bons morrem jovens...."

Assim ele falava.... Morreu jovem e ainda assim, conseguiu deixar um legado... Musicas as vezes falando de tristeza e dor.. Outras falando da serenidade.... Algumas falando sobre nada e tudo....

E apesar do envolvimento com as drogas que aos poucos foi acabando com ele, para mim, é um icone. Me emociono ao falar dele. Me emociono ao escutar suas músicas...

"Sempre precisei de um pouco de atenção, acho que não sei quem sou, só sei do que não gosto"....

"O sol nasce para todos só não sabe quem não quer"....

"Eu sei - é tudo sem sentido.
Quero ter alguém com quem conversar,
Alguém que depois não use o que eu disse
Contra mim.
Nada mais vai me ferir.
É que já me acostumei
Com a estrada errada que eu segui
E com a minha própria lei.
Tenho o que ficou
E tenho sorte até demais,
Como sei que tens também..."

Minha singela homenagem....  

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Em vez de um ponto, uma vírgula...

"Em vez de um ponto, uma vírgula"...

Há momentos em que é preciso parar tudo e dar uma bela respirada, colocar pingos nos "i´s", ajustar as coisas; buscar serenidade e equilíbrio.

Como muitos já sabem, eu sou uma pessoa "sedenta" de atenção, de carinho, de abraço, de sorriso. Às vezes,   ainda que sem querer, sou meio exagerada e no lugar de aproximar as pessoas, acabo afastando-as.

Dizia meu avô que "tudo que é demais sobra". Então, antes que as relações de amizade "sobrem", é preciso parar.  Não pra colocar um ponto final. É preciso apenas de uma vírgula, para que cada um fique em seu lugar, com sua essência. A vírgula é apenas o momento da respiração....

Precisando de vírgulas para que as amizades não cheguem ao ponto final.


terça-feira, 4 de outubro de 2011

Aprendendo a Desculpar e a Esquecer

As pessoas que me convivem comigo sabem como eu sou. Dificilmente brigo com alguém, respondo uma provocação. Prefiro engolir 1001 sapos a dar uma resposta grosseira a alguém ou falar algo que possa machucar alguém. Ainda mais quando esse alguém é uma pessoa que eu considere amiga, que eu goste e que queira ter ao meu lado. Há uns tempos atrás, eu acabei falando algumas coisas que não devia a uma pessoa a quem tem grande estima. Reconheci meu erro, pedi desculpas. Não pareceu o suficiente. Muitas e muitas vezes questionei a mim mesma o por que a pessoa não conseguia me desculpar. Eu não entendia, porque meu pedido era sincero. Eu realmente havia reconhecido meu erro. O tempo passou e recentemente um outro alguém falou coisas para mim que eu acredito que não mereceia ouvir. Sabe aquelas palavras que machucam nossa alma? Quando eu ouvi tudo me deu uma dor tão grande, não apenas pelas palavras ditas mas por eu lembrar que tinha tido uma atitude semelhante em outro momento e o quanto é ruim a gente falar as coisas para as pessoas. Depois a pessoa me pediu desculpas. Eu disse que desculpava, como de fato acho que desculpei. O que me falta agora é aprender a esquecer. Por mais que eu tenha desculpado e não tenha raiva, ainda tenho uma mágoa dentro do peito que sei que o tempo vai apagar. Mas agora, eu entendo, porque da vez que eu falei, a pessoa também não conseguiu me desculpar. E chego a conclusão que às vezes, a gente precisa é passar pelas situações, vivencia-las na pele para então reavilar quem somos. E eu cheguei a conclusão que não posso ser dfierente do que sou. Eu não sei responder, não sei falar... O melhor é continuar sempre engolindo os sapos e assim, não precisar pedir desculpas. E não é por falta de humildade pois não tenho problemas em reconhecer meus erros e minhas falhas. É porque eu não suporto a idéia de magoar as pessoas e não receber as desculpas que preciso para continuar a caminhada. E por precisar tanto dessas desculpas (não apenas na situação que me fez essa reflexão mas em outras tantas da vida cotidiana) é que estou me esforçando a cada dia para também aprender a desculpar e, no limite, aprender a perdoar... A plenitude da desculpa e do perdão só acontece no dia em que mágoa e o ressentimento deixam de existir.