sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Período Eleitoral

Desde o início do pleito eleitoral tenho rascunhado em minha mente algumas palavras a respeito do assunto. Muitos dizem que é tempo de política. Discordo. É tempo de eleição. Ponto. Política nós vivenciamos todos os dias. Na nossa vida cotidiana. Em nossa vida diária. Quando criticamos ou elogiamos nossos representantes. Quando buscamos nossos direitos e também agimos conforme nossos deveres. Afinal, não somos apenas sujeitos de direitos, somos também sujeitos de deveres. Para conosco, para com os outros. Para com todos. Basta ver a constituição. Diz lá, em vários momentos... "É dever da família, da sociedade e do Estado garantir......"   , ou seja, somos família, somos sociedade...    OU seja, não basta nos enfurecermos frente a televisão apenas nos períodos de eleição onde os "políticos" aparecem, se em todos os outros dias do ano ignoramos nosso papel enquanto membros da sociedade. Por isso que discordo que estamos em tempos de política. Mas concordo que estamos em tempos de eleição. Mas o que me motivou efetivamente a tirar dos rascunhos da minha mente e transformar em um post foi a propaganda política de um dos candidatos a prefeitura de Curitiba. Confesso que não assisti propaganda política na televisão (apenas ouvi no rádio durante o trajeto para o trabalho). Como todos sabem, trabalho na área de segurança pública. Prezo pela frente de prevenção. Não acho que a ação repressiva das policias e guardas municipais sejam a salvação do planeta. São necessárias. Mas não são a única a alternativa. A prevenção é a principal ferramenta para isso. Este é o novo cenário de segurança pública. TEnho, nos últimos anos, participado de muitos eventos nacionais e internacionais sobre o tema e o caminho é esse: prevenção, policiamento comunitáiro, projetos sociais etc. Aí me vem o senhor candidato ratinho junior, me coloca o senhor deputado federal francischini (delegado da policia federal) com o seguinte discurso (que não deveria reproduzir - mas que fará com quem por ventura leia este meu espaço e me conhece, entenda minha indignação: " SE VOCÊ ACHA REALMENTE QUE O POLICIAMENTO COMUNITÁRIO VAI TIRAR O BANDIDO DA PORTA DA SUA CASA E O TRAFICANTE DA PORTA DA ESCOLA DO SEU FILHO, PASSANDO A MÃO NA CABEÇA DE BANDIDO, PODE VOTAR NO OUTRO CANDIDATO. MAS SE VOCÊ AGORA QUER UMA OFENSIVA CONTRA OS BANDIDOS QUE NUNCA FOI FEITA NESSA CIDADE, VOTE NO 20, E DEPOIS COBRA DE MIM. "     

PARA TUDO...... 

Sinceramente, um político que se diz moderno, que diz querer trazer uma cara nova a curitiba, fugir dos grupos de elite que sempre governaram a cidade, apresenta a população um discurso atrasado, desumano e totalmente fora do que se discute atualmente no cenário da segurança pública. é lamentavel que ainda hoje se propague a idéia do "bate primeiro e pergunta depois".  Enquanto esse tipo de pensamento de que apenas a repressão resolve, vamos eternamente estar enxugando o gelo... E isso, até o bandido já sabe....   

Por isso espero que todos exercitem os direitos políticos não apenas no periodo eleitoral mas em todos os dias...    E como o tema de hoje é a política, um texto clássico, talvez até mesmo clichê, mas da qual gosto muito.... 

O ANALFABETO POLÍTICO
O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
Nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe o custo da vida,
O preço do feijão, do peixe, da farinha,
Do aluguel, do sapato e do remédio
Dependem das decisões políticas.

O analfabeto político
É tão burro que se orgulha
E estufa o peito dizendo
Que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
Nasce a prostituta, o menor abandonado,
E o pior de todos os bandidos,
Que é o político vigarista,
Pilantra, corrupto e lacaio
Das empresas nacionais e multinacionais.


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Em minha busca

Não a toa o título desta postagem é o mesmo nome deste blog. Expressa minha caminhada na vida. Busco-me constantemente. Como disse outra ocasião, entre erros e acertos me construo. Porém, sozinho, nem sempre conseguimos nos encontrar. Como diria Renato Russo: "quero me encontrar mas não sei onde estou". Precisamos de ajuda nesta caminhada. Muitas vezes, a ajuda amiga resolve. Outras tantas não. As vezes, é necessário a ajuda profissional. Não a toa, existe a psicologia. Eu, ainda que cheia de receios e preconceito, após várias indicações amigas, resolvi procurar a terapia. Pela terceira vez. A primeira vez, foi a muito tempo atrás (antes mesmo do Augusto nascer). Foi pontual. Fim. Agora recentemente, fui de novo. Fiz 3 sessões. Não gostei. Mas não podia desistir. Não queria desistir. Mudei de profissional. Estou indo para a terceira sessão agora. Confesso que aos poucos estou perdendo o preconceito. O processo de autoconhecimento "dirigido" é bem interessante. Espero nessa nova etapa, me conhecer. Me conhecer e, principalmente, me aceitar mais. Me aceitar melhor. Quero voltar aqui e dizer que vale a pena fazer terapia. Por enquanto, estou experimentando e sinto-me cada vez empenhada nesta experimentação. Vamos ver o que acontece.



segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Essa ansiedade ainda vai me matar....

Quanto tempo que eu não apareço por aqui... Última postagem está datada de 20 de junho. Ou seja, lá se vão pouco mais de 02 meses. Muito tempo, não? Pois é. Por que me afastei? Nem mesmo sei. Só sei que foi assim. Talvez porque quase nada de muito novo tenha acontecido. Talvez por uma apatia que tenha tomado conta de mim. Talvez porque, a cada texto escrito, fosse um encontro comigo mesmo. Podem ser tantas as motivações que se fosse elencá-las aqui me perderia nos meus pensamentos. Mas não é por isso que cá estou. Estou para tentar, de alguma forma, aliviar uma certa ansiedade que me domina. Pelo menos, o motivo é bom. Muito bom. O duro é a espera. Pois bem, finalmente irei conhecer Fortaleza.

Uhuuuuuuu !!!!

Sempre tive vontade. Tivemos uma oportunidade há um tempo atrás, mas optamos por ir a Natal (que meu marido não conhecia). Mas ainda sim minha vontade de ir a Fortaleza continuou. Finalmente chegou a vez. De presente de Natal, iremos os três desfrutar de alguns dias nessa terra. Com direito a Beach Park....  

E por que a ansiedade? Porque a viagem será só em dezembro. Presente de natal literalmente. Duro é esperar até lá. Por enquanto, só me cabe sonhar.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

De todas as coisas que leio, de outras tantas que escrevo as que sempre mais tocam o coração são aqueles assuntos relacionados a amizade. Talvez por eu ser amiga demais, talvez por ser leal demais. Talvez por ser dedicada demais mesmo cheia de avessos e defeitos.  Daquelas que anda com o regador na mão, buscando ou ao acaso encontrando flores amigas para serem regadas. Mas às vezes, não encontramos flores, encontramos espinhos. E esses espinhos machucam. E as vezes, existem espinhos que nunca se transformam. E só nos resta observar e deixar pra lá. Não adianta regar...
E aos espinhos, minha singela homenagem... de quem passou, viu e tentou... 




terça-feira, 5 de junho de 2012

Vivendo e aprendendo a jogar...

nem sempre ganhando, nem sempre perdendo mas aprendendo a jogar...

E assim é a caminhada. Assim é a vida. Assim somos nós. Aprendendo a cada dia. Nos melhorando sempre. Nos surpreendo negativamente às vezes e outras tantas recebendo algumas boas surpresas positivas...

Nos conhecendo. Nos encontrando. Nos buscando sempre.


sexta-feira, 4 de maio de 2012

Sem medo de mudanças mas...

Não tenho e nem nunca tive medo de mudanças. Eventualmente, algum tipo de receio. O desconhecido sempre nos provoca essas sensações. Pisar em terrenos sem saber como eles exatamente são causa certo desconforto. Estou passando por mudanças no ambiente de trabalho. Mudanças esperadas. Assumindo, de fato, o que era para sempre ter sido e, por motivos diversos, nunca foi. Estranho isso, não?  Mudei de prédio. Mudei de sala. Uma sala muito bonita por sinal. Sala clara e estruturada. Fisicamente bem confortável. Silêncio total - desconfortável para mim que, nos últimos dois anos, me acostumei com o barulho, conversas e risadas dos meus companheiros guardas municipais. Mas o problema não é esse também. Esse momento de transição está me causando desconforto e não estou sabendo exatamente lidar com isso. Tudo está sendo bom e sei que será muito bom profissionalmente. São grandes oportunidades. Mas é como se eu não me sentisse parte desse novo ambiente. E quando vou no meu antigo prédio também não me sinto mais de lá. Sinto-me no limbo. E hoje, mais do que ontem, essa sensação se acentuou. Meu "mana" que eu achava ter deixado lá... Não está lá. Não está aqui. Parece que o perdi. Não sei o que fazer. Paro. Reflito. Tento me ajustar. Aguardo. E enquanto aguardo trabalho. Faço minha parte. 

terça-feira, 10 de abril de 2012

Leituras

Certo tempo atrás fiz um post sobre 101 uma coisas para fazer em sei lá quantos dias... nem me lembro direito. Sequer completei a tal lista de 101 coisas.... Mas entre os itens lá elencados, coloquei que voltaria a ler livros de literatura, livros diversos , livros não-acadêmicos.

E sabe que estou indo bem. Estamos no mês de abril. E este ano já li 03 livros.

01. Quem me roubou de mim?
02. Tempo de Esperas
03. O menino do Pijama listrado.

Quase 01 por mês. Já estou na metade do quarto livro. É bem verdade que este quarto livro - Além do Bem e do Mal - do filósofo Nietzsche - tá me fritando o cérebro, mas já que me propus a tal desafio, irei cumpri-lo.

Acho que é um bom começo. O único detalhe é que dos três livros acima mencionados, todos me fizeram chorar... mas aí, é uma outra história...




quinta-feira, 29 de março de 2012

Parabéns Curitiba

Aqui não nasci. Para cá me mudei e construí minha vida. Aprendi a falar vina, penal. Algumas vezes solto o leitE queNTE. Conheço o "oil man" e a tiazinha que vende (vendia) o bilhete da cobra no calçadão da Rua XV. Já vi a rua 24 horas funcionar a pleno vapor. A cidade me acolheu. Faço parte dela. Aqui conheci meu marido. Meu filho e curitibano nato. Como não gostar daqui? Tem problemas, claro. Mas amo essa cidade. De livre e espontânea vontade, não troco de cidade por nada. Amo o calor, mas aprendi a apreciar o frio. Curitiba, talvez não seja tão verde e ecológica quanto antes. Mas continua sendo a cidade que escolhi para fazer a minha vida.
Parabéns CURITIBA.

Abaixo, a imagem do meu lugar favorito da cidade... Parque Tanguá


quarta-feira, 28 de março de 2012

Tem dias em que a gente até quer escrever, faltam as palavras.
Mas daí existe a música, que perfeitamente se encaixa naquele dizer que nos falta.



quarta-feira, 21 de março de 2012

Retornando ao mundo da leitura

Quanto tempo que não visito meu "canto encantado" para deixar palavras minhas, pensamentos meus. HOje voltei... Apesar do dia a dia corrido, da cabeça sempre ocupada - ora utilmente, outras tantas inutilmente, não estava dando o devido valor ao espaço de encontro meu , comigo.

Hoje estou aqui para compartilhar com quem visita este cantinho uma nova rede social. Coincidentemente (ou não), esta rede apareceu quando eu voltei a ter gosto para a leitura. Desde que terminei o mestrado (em 2007), algo me mantinha distante dos livros e da leitura. Talvez tenha sido o cansaço das leituras acadêmicas que tenha feito isso comigo.

De uns tempos para cá, comecei a ler novamente. E, principalmente, pegar gosto. Bem verdade que são livros de caráter religiosos ou de auto-ajuda. Mas isso não importa. Depois de tanto tempo, começar de leve , faz bem. Hoje, especificamente, parti para uma leitura mais densa. Estou em minhas mãos, com um livro de Nietzsche - Além do Bem e do Mal. Sei que será uma leitura difícil. Mas não me importo. Quero ocupar as horas vagas, com coisas úteis. Algo melhor que a leitura. Aos poucos, estou substituindo as horas em frente a TV, pelos livros. E isso vem me fazendo muito bem. Mesmo no ambiente de trabalho, entre uma atividade e outra (quando ficava lendo fofocas na internet), abro o livro e leio (nem que seja uma pagina). E então, que entra esse site). A descrição dele é bem simples: não serve para nada , a não ser para aqueles que querem compartilhar boas leituras...

o link: http://www.skoob.com.br/

fica a dica...   enquanto isso, voltarei para o nietzsche....   e para outros livros que se apresentarem para mim. Com toda convicção, digo que sou uma pessoa mais calma depois que voltei a dedicar algumas horas a leitura.


segunda-feira, 5 de março de 2012

Trecho de um livro - Tudo haver comigo e com esse canto..

"A escrita é uma aventura perigosa. Nela o coração humano se registra e se revela. O envelope resguarda o segredo, acoberta o infortúnio que gerou as palavras, segreda os motivos que o esboço da escrita não alcança, veda os espaços para que o sentimento não fuja, nem se perca pelo caminho. A palavra segura o significado do vivido, desafia o tempo, engana a cronologia. A vida vivida encontra abrigo na casa da palavra. A tenda do significado se presta a auscultar o coração confesso. E com isso o significado se avoluma. O que a palavra sabe de si mesma é misteriosamente emprestado à dor que até então doía sem ter nome. (...) Estou nas palavras, mas estou, sobretudo, nas entrelinhas. O que já sei dizer sobre mim é quase nada perto do ser que em mim se oculta"    (Pe. Fábio de Melo - Tempo de Esperas) 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Dica de Leitura

Quando comecei a fazer uma relação sobre coisas a serem feitas, logo pensei em ler livros que não fosse técnicos-científicos ...
Diante de tantas coisas acolhedores que li do Padre Fábio de Melo na internet, textos que, inclusive, publiquei aqui neste blog, resolvi ler um livro dele.

O livro se chama QUEM ME ROUBOU DE MIM?  O título sugere um texto de auto-ajuda, não deixa de ser. Mas para mim, foi muito mais que uma auto-ajuda. Foi um encontro e um re-encontro comigo, com o que eu acredito. Foi, de certa forma, uma libertação... Livrando-me de cativeiros inconscientes que existiam em mim. Libertei minha subjetividade (termo muito usado ao longo da obra). E, sem vergonha, respondi a uma série de perguntas com as quais o autor termina o livro. Não respondi em nenhum canto virtual, ou em papéis. Respondi na minha mente, em meu coração. Nem sempre as respostas vem à clara. Mas uma coisa tenho certeza, eu sou alguém melhor agora que antes. Não porque o livro me transformou. Mas porque eu abri minha mente para o que ali estava escrito. Estou buscando meus caminhos. As pontes para atravessar. E, ainda que o livro tenha mençoes religiosas (do catolicismo), para mim - que não sou católica - não fez a menor diferença. A grande proposta é a liberdade... é o se conhecer, é o ser, é o saber... a troca...

Fico muito feliz por ter me deparado com esse livro. E quem tiver chance de ler, não perca a oportunidade....


sábado, 21 de janeiro de 2012

Silêncio e Palavras

então....  eu sempre falei pelos cotovelos. sempre falei demais, me expliquei demais. Sempre quis dos outros justificativas, explicações etc. as palavras soaram (e ainda soam em alguns momentos) como se fossem a solução dos problemas. O silêncio, para mim, nunca foi convincente ou aceitável. Não podia uma pergunta minha ficar sem resposta, ou um comentário qualquer sem retorno. Isso, de certa forma, me provoca(va) desconforto. Porque eu prefiro(preferia) ouvir algo de que não gostasse do que ficar imaginando, através do silêncio, situações, frases, palavras ou seja lá o que fosse. Mas neste periodo de férias, em que eu fico no computador bastante tempo (mais que o normal) visitando sites de poesias, frases etc., encontrei um pensamento de padre Fábio de Melo, a quem admiro e respeito e que quero aqui compartilhar pois promoveu um dos grandes encontros que eu precisa de mim, comigo mesma. Não que seja o suficiente, mas passei a pensar e refletir sobre essa minha necessidade de ouvir palavras sempre... Deixo aqui o texto para aqueles que, eventualmente, passam por aqui, possam também refletir...


"SILÊNCIOS E PALAVRAS!

Não diga as coisas com pressa. Mais vale um silêncio certo que uma palavra errada. Demora naquilo que você precisa dizer. Livre-se da pressa de querer dar ordens ao mundo. É mais fácil a gente se arrepender de uma palavra que de um silêncio. 

Palavra errada, na hora errada, pode se transformar em ferida naquele que disse, e também naquele que ouviu. Em muitos momentos da vida o silêncio é a resposta mais sábia que podemos dar a alguém. 

Por isso, prepara bem a palavra que será dita. Palavras apressadas não combinam com sabedoria. Os sábios preferem o silêncio. E nos seus poucos dizeres está condensada uma fonte inesgotável de sabedoria. 

Não caia na tentação do discurso banal, da explicação simplória. Queira a profundidade da fala que nos pede calma. Calma para dizer, calma para ouvir. 

Hoje, neste tempo de palavras muitas, queiramos a beleza dos silêncios poucos."

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Dose de Padre Fábio de Melo


HOJE É TEMPO DE SER FELIZ!

A vida é fruto da decisão de cada momento. Talvez seja por isso, que a idéia de plantio seja tão reveladora sobre a arte de viver.

Viver é plantar. É atitude de constante semeadura, de deixar cair na terra de nossa existencia as mais diversas formas de sementes.

Cada escolha, por menor que seja, é uma forma de semente que lançamos sobre o canteiro que somos. Um dia, tudo o que agora silenciosamente plantamos, ou deixamos plantar em nós,será plantação que poderá ser vista de longe...

Para cada dia, o seu empenho. A sabedoria bíblica nos confirma isso, quando nos diz que "debaixo do céu há um tempo para cada coisa!"

Hoje, neste tempo que é seu, o futuro está sendo plantado. As escolhas que você procura, os amigos que você cultiva, as leituras que você faz, os valores que você abraça, os amores que você ama, tudo será determinante para a colheita futura.

Felicidade talvez seja isso: alegria de recolher da terra que somos, frutos que sejam agradáveis aos olhos!

Infelicidade, talvez seja o contrário.

O que não podemos perder de vista é que a vida não é real fora do cultivo. Sempre é tempo de lançar sementes... Sempre é tempo de recolher frutos. Tudo ao mesmo tempo. Sementes de ontem, frutos de hoje, Sementes de hoje, frutos de amanhã!

Por isso, não perca de vista o que você anda escolhendo para deixar cair na sua terra. Cuidado com os semeadores que não lhe amam. Eles têm o poder de estragar o resultado de muitas coisas.

Cuidado com os semeadores que você não conhece. Há muita maldade escondida em sorrisos sedutores...

Cuidado com aqueles que deixam cair qualquer coisa sobre você, afinal, você merece muito mais que qualquer coisa.

Cuidado com os amores passageiros... eles costumam deixar marcas dolorosas que não passam...

Cuidado com os invasores do seu corpo... eles não costumam voltar para ajudar a consertar a desordem...

Cuidado com os olhares de quem não sabe lhe amar... eles costumam lhe fazer esquecer que você vale à pena...

Cuidado com as palavras mentirosas que esparramam por aí... elas costumam estragar o nosso referencial da verdade...

Cuidado com as vozes que insistem em lhe recordar os seus defeitos... elas costumam prejudicar a sua visão sobre si mesmo.

Não tenha medo de se olhar no espelho. É nessa cara safada que você tem, que Deus resolveu expressar mais uma vez, o amor que Ele tem pelo mundo.

Não desanime de você, ainda que a colheita de hoje não seja muito feliz.

Não coloque um ponto final nas suas esperanças. Ainda há muito o que fazer, ainda há muito o que plantar, e o que amar nessa vida.

Ao invés de ficar parado no que você fez de errado, olhe para frente, e veja o que ainda pode ser feito...

A vida ainda não terminou. E já dizia o poeta "que os sonhos não envelhecem..."

Vai em frente. Sorriso no rosto e firmeza nas decisões.

Deus resolveu reformar o mundo, e escolheu o seu coração para iniciar a reforma.

Isso prova que Ele ainda acredita em você. E se Ele ainda acredita, quem sou eu pra duvidar... (?)
Padre Fábio de Melo

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Viciados em Video Game

Família em férias. Que maravilha. mamãe, papai  e bebê em casa. Que ótimo. Viagem planejada? Por apenas alguns dias. Mas as férias duram 30....

Resultado: família inteira viciada em vídeo-game. E se o problema era apenas um, temos dois, além de alguns acessórios para um deles...

O primeiro é o famoso nitendo wii.    Para este, a aquisição mais recente foi a Rock band 2 (que está abaixo).
Família bem feliz..... banda formada. horas de diversão.... dores nos braços , porque evidentemente esse negócio de fazer de conta que sabe tocar alguma coisa vicia..... e enfim


mas como se não bastasse todo o sucesso da banda, que diga-se de passagem tem nome ASHELL´s (precisava começar com A por sugestão do baby da casa e o resto é o nome da familia), eis que temos a feliz idéia de comprar outro videogame... Que aí foi o caos total, não no sentido ruim do termo, ou no sentido ruim do termo? agora é o dia todo, principalmente porque o dito cujo dispensa controle remoto  e até dá pra compartilhar as conquistas no facebook...

estamos falando nada mais , nada menos que do xbox 360 com kinect....   aí, eu que adoro dançar, logo de cara comprei o jogo Dance central 2... TUDO DE BOM.....    a banda não está descartada, mas se alguém tiver interesse, estamos vendendo o wii com a banda (que tem menos de 1 mês), com a balança do wii fit (jogo original) e o jogo your shape (original também que vem com a camera própria - que filma vc e aparece sua forma - boa ou má), por um precinho camarada......     Enfim, se soubessemos que iamos comprar o xbox não teriamos comprado a rockband para o wii e sim para o xbox pq este é muito bom....    Por euqnato vamos com os dois APROVEITANDO AS FÉRIAS....



quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Tentando ser diferente

Para variar, fiz promessas sobre ser diferente no novo ano.

Seja pelas lágrimas que derramei, pelos tombos que caí, pelas decepções que tive. Pelos amigos que perdi. Porque, no fim das contas, são as dores que fazem a gente querer mudar, não é verdade?

Mas eu fico pensando onde foi que eu errei? Porque evidentemente eu errei, como todos nós, erramos semrpe em nossa caminhada. eu errei sempre nos meus exageros: ser sincera demais, ser amiga demais, ser dedicada demais, ser leal demais, ser carinhosa demais. Cheguei no horário, me importei com detalhes, me importei com as pessoas. Ofereci meus braços e abraços. ofereci meus ombros. ri junto e chorei junto. Tá... fui meio chata as vezes, porque nem sempre percebo a hora de manter distancia. Esse é meu erro. Uns entenderam meu jeito. Outros se aproveitaram dele. Uns entenderam minha amizade. Outros usaram e abusaram dela. Sou ingenua. É fácil se aproveitar de mim. Mas antes assim, né. A única coisa que eu preciso aprender, na verdade, é uma coisa que minha mãe sempre tentou me ensinar mas nunca conseguiu: ser bom é uma coisa, ser bobo é outra. Eu preciso aprender a parar de ser bobo. Deixar de ser bom jamais. Se me der vontade de ligar: vou ligar. se der vontade de chorar: vou chorar. Se der vontade de rir: vou rir. Serei o que sou, sempre, na minha essencia. Esse negócio de ser ruim só porque o mundo quer, nada haver.... O mundo é que vá pra ponte que partiu.....      Acho que prefiro chorar e ser a verdade do meu ser, do que rir e ser a falsidade que o mundo quer....