sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Período Eleitoral

Desde o início do pleito eleitoral tenho rascunhado em minha mente algumas palavras a respeito do assunto. Muitos dizem que é tempo de política. Discordo. É tempo de eleição. Ponto. Política nós vivenciamos todos os dias. Na nossa vida cotidiana. Em nossa vida diária. Quando criticamos ou elogiamos nossos representantes. Quando buscamos nossos direitos e também agimos conforme nossos deveres. Afinal, não somos apenas sujeitos de direitos, somos também sujeitos de deveres. Para conosco, para com os outros. Para com todos. Basta ver a constituição. Diz lá, em vários momentos... "É dever da família, da sociedade e do Estado garantir......"   , ou seja, somos família, somos sociedade...    OU seja, não basta nos enfurecermos frente a televisão apenas nos períodos de eleição onde os "políticos" aparecem, se em todos os outros dias do ano ignoramos nosso papel enquanto membros da sociedade. Por isso que discordo que estamos em tempos de política. Mas concordo que estamos em tempos de eleição. Mas o que me motivou efetivamente a tirar dos rascunhos da minha mente e transformar em um post foi a propaganda política de um dos candidatos a prefeitura de Curitiba. Confesso que não assisti propaganda política na televisão (apenas ouvi no rádio durante o trajeto para o trabalho). Como todos sabem, trabalho na área de segurança pública. Prezo pela frente de prevenção. Não acho que a ação repressiva das policias e guardas municipais sejam a salvação do planeta. São necessárias. Mas não são a única a alternativa. A prevenção é a principal ferramenta para isso. Este é o novo cenário de segurança pública. TEnho, nos últimos anos, participado de muitos eventos nacionais e internacionais sobre o tema e o caminho é esse: prevenção, policiamento comunitáiro, projetos sociais etc. Aí me vem o senhor candidato ratinho junior, me coloca o senhor deputado federal francischini (delegado da policia federal) com o seguinte discurso (que não deveria reproduzir - mas que fará com quem por ventura leia este meu espaço e me conhece, entenda minha indignação: " SE VOCÊ ACHA REALMENTE QUE O POLICIAMENTO COMUNITÁRIO VAI TIRAR O BANDIDO DA PORTA DA SUA CASA E O TRAFICANTE DA PORTA DA ESCOLA DO SEU FILHO, PASSANDO A MÃO NA CABEÇA DE BANDIDO, PODE VOTAR NO OUTRO CANDIDATO. MAS SE VOCÊ AGORA QUER UMA OFENSIVA CONTRA OS BANDIDOS QUE NUNCA FOI FEITA NESSA CIDADE, VOTE NO 20, E DEPOIS COBRA DE MIM. "     

PARA TUDO...... 

Sinceramente, um político que se diz moderno, que diz querer trazer uma cara nova a curitiba, fugir dos grupos de elite que sempre governaram a cidade, apresenta a população um discurso atrasado, desumano e totalmente fora do que se discute atualmente no cenário da segurança pública. é lamentavel que ainda hoje se propague a idéia do "bate primeiro e pergunta depois".  Enquanto esse tipo de pensamento de que apenas a repressão resolve, vamos eternamente estar enxugando o gelo... E isso, até o bandido já sabe....   

Por isso espero que todos exercitem os direitos políticos não apenas no periodo eleitoral mas em todos os dias...    E como o tema de hoje é a política, um texto clássico, talvez até mesmo clichê, mas da qual gosto muito.... 

O ANALFABETO POLÍTICO
O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
Nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe o custo da vida,
O preço do feijão, do peixe, da farinha,
Do aluguel, do sapato e do remédio
Dependem das decisões políticas.

O analfabeto político
É tão burro que se orgulha
E estufa o peito dizendo
Que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
Nasce a prostituta, o menor abandonado,
E o pior de todos os bandidos,
Que é o político vigarista,
Pilantra, corrupto e lacaio
Das empresas nacionais e multinacionais.